Cruel Insonia

 


Ele devia vir, mas não vem. Ele devia estar aqui, mas não está. Ele devia ser natural, mas não é. A prisão que me encarcera me mantém acordada. As gotas não fazem efeito. A dor é pungente e a ansiedade crescente. ‘’Mas por quê? O quê? Quem?’’ As palavras vão e voltam, são punhaladas na minha mente. Não... estou surtando. Ou será que sou normal? Alguém se importa se eu acordar? Como poderiam, se eu não consigo dormir. O desespero toma conta de mim, as paredes parecem ruir.


É sangue aquilo que escorre e esquenta minhas mãos? É sangue que insiste em deixar meu corpo? Não sinto. Não vejo. Não posso. O torpor se instala em cada veia do meu corpo. Não sinto a dor. Não, não, um mar de nãos. E por quê?

São os botões, são eles. Eles foram desligados, mas ninguém nunca está lá para aperta-los novamente. Uma guerra vou começar uma guerra. Combatente solitária, gritando em silêncio, guerreando imóvel. A tortura de ser diferente. A frustração de não ser igual ao que a sociedade pede. Uma denominação. Um diagnóstico. Você é meio louca apenas. Não se aflija, sua vida será normal. E o quê é normal? E se meu normal não de adequar? Banimento. Punição. Sofrimento. Marcas. Mais marcas. As internas são as únicas que doem.

Como é possível doer o que não existe? Não há pele, não há ossos, não há pulso... não há. Ele não vem, porque ele não vem? Onde ele está nos 5 segundos em que o aço desliza sob minha pele? Onde ele foi quando não consegui parar, quando não pude evitar a vergonha? Agora elas chegaram. Parabéns!!! Elas gritam. Vieram zombar do meu novo fracasso, vieram zombar da minha fraqueza. Rolam silenciosas, riscando em agonia minha face já marcada pela indiferença. O espelho me renega, me odeia me baniu de seu reflexo, mas ele chegou para seus 20 minutos de sossego e talvez eu jamais saiba se pensava ou sonhava essas palavras.


*Não copie esse texto sem dar os devidos créditos*

Comentários

  1. Uau, consegui sentir um pouco da ansiedade no primeiro paragrafo logo. Quando a cabeca da gente faz mil pensamentos ao mesmo tempo e o coracao nao consgue acompanhar.

    ResponderExcluir
  2. Muitas vezes o desespero toma conta, é uma coisa que não podemos controlar, um texto bastante reflexivo, bjs.

    ResponderExcluir
  3. Oi!
    Eu também tenho insônia é horrível, e os remédios já não fazem efeito. É muita cousa na cabeça é como se não desligasse ficasse sempre a mil,e o pior é o cansaço e a irritabilidade.
    Tento sempre meditar, as vezes ajuda..

    ResponderExcluir
  4. Não conseguir desligar, depois de um dia de preocupações é medonho.Já passei por momentos assim, noite em claro,mente cheia de problemas, melhor é sempre buscar ajuda, tentar sair sozinho é sempre mais demorado,bom sempre ter a certeza de que há saída.bjus

    ResponderExcluir
  5. Oi, tudo bem? Que reflexão mais interessante. Alguns dias também tenho insônia. Um abraço, Érika =^.^=

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Profissão Por quê?- Advogada

Vamos zerar e recomeçar!